Dicas Netflix da Semana (27/3 a 4/4)

Em 31 de março e 1 de abril, tivemos um recorde: a estreia de quase 120 filmes, ao todo, nos dois dias. E não, isso não é mentira! =D Mas como quantidade nem sempre significa qualidade, na coluna dessa semana seria impossível falar de todos. Escolhemos, então, os melhores e mais relevantes. Vamos lá?

A Rede

Filme de 1995 estrelado por Sandra Bullock marcou época pois a Internet ainda estava começando e a obra foi uma das primeiras a tratar de teorias conspiratórias da World Wide Web.

Flores Raras

Filme de Bruno Barreto mostra período que a poetisa americana Elizabeth Bishop viveu no Rio de Janeiro e se envolveu com a arquiteta Lota de Macedo, urbanista autodidata responsável pelo Parque do Flamengo, o maior aterro urbano do mundo.

Born To Be Free

Documentário revelador e comovente retrata dilema de 18 baleias-brancas vivendo há anos em cativeiro. Trabalho primoroso de jornalismo investigativo dirigido pela estreante Gayane Petrosyan.

Celluloid Man

Documentário sobre P.K.Nair e seu peculiar e importante trabalho de preservação do Cinema Indiano. O arquivista é considerado o Henri Langlois (importante arquivista francês) da Índia, ao conservar a rica história dos filmes indianos.

Razão e Sensibilidade

Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, o filme é um clássico de Sessão da Tarde, dirigido pelo também vencedor do Oscar Ang Lee. Baseado em livro de Jane Austen, três irmãs são deixadas na miséria após a morte do pai e são obrigadas a contar com a bondade alheia.

Sexo, Mentiras e Videotape

Já falei desse filme em meu podcast sobre filmes de baixo orçamento. É um clássico, dirigido por Steven Soderbergh.

Julie e Julia

Comédia leve e fofinha que faz paralelo entre a vida da entediada Julie Powell e a clássica cozinheira Julia Child, pioneira autora e apresentadora de culinária norte-americana da década de 1960, antecessora dos muitos programas atuais que mostram a preparação de receitas.

Post Author: Priscila Armani

mm
Jornalista por formação, Cinéfila por paixão, Crítica por masoquismo. Me aventurando nesse mundo louco da produção de conteúdo ao produzir e apresentar o Podcast O que Assistir.